terça-feira, 20 de maio de 2008

Início de conversa;

Eu sempre gostei de escrever. Desde que me entendo por gente, estou sempre rabiscando algum papel ou desenhando símbolos estranhos. Das anotações que faço saem algumas idéias legais, que tomam destinos variados. O interessante é que é bom exercitar a imaginação e colocar um pouco da sua mente no papel ou na parte concreta da sua vida.

Às vezes eu não tenho com quem conversar. É estranho porque quem olha pra mim pensa: Ela deve ter bastantes amigos, se socializar de maneira impressionante e ser bem comunicativa. Honestamente, é o contrário. Não tenho muitos amigos. Falo de amigos verdadeiros mesmo. Conto nos dedos. Tenho muitos conhecidos e algumas falsas amizades. Bom, isso não vem ao caso agora. Eu não sou um prodígio na escrita, mas não escrevo muita besteira. Eu escrevo pra entender melhor alguma coisa que me marcou, machucou, ou para compreender um novo tipo de comportamento. E o que ajuda é que eu não tenho a cabeça vazia, nem um vocabulário pobre.

Escrever é uma forma de você organizar seus pensamentos. É sempre bom ter uma ordem interior. Às vezes arrisco uns versos, nada muito rebuscado ou de difícil explicação, até porque a simplicidade facilita a minha vida. É uma forma de conversar comigo mesma, de procurar as respostas certas onde aparentemente não há solução.

Claro que nem tudo o que eu sinto posso escrever ou publicar. Já disseram por aí que é bom nós termos nossos 'segredos'. Pois é. Esse negócio de 'minha vida é um livro aberto' não funciona comigo. Acho que devemos preservar o nosso individualismo, até porque a maioria das pessoas não querem saber ou ouvir o que você tem a dizer. Faz parte da rotina humana da frieza e do egocentrismo. Um típico sentimento do mundo capitalista, trivial e promissor. Isso não significa que todos são assim, claro que não. Há pessoas que se sentem realizadas ao ouvir você falar sobre quem realmente você é. Haha, essa pessoas merecem uma medalhinha e um abraço apertado *--*

Bom, não dependa tanto das pessoas para formar seu conceito de personalidade, ou quem você quer ser. Isso pode não acontecer, e você se tornará uma pessoa frustrada e sem amigos. Converse consigo mesmo. Aprenda a ficar sozinho, e que isso não seja entendiante.
Na dúvida, escreva. Escreva sobre você. Escreva sobre a vida. Escreva sobre o mundo, sobre o que você acha dele. Escreva sobre seus amigos, sobre a razão, sobre o sentido das coisas. Se não tiver o que escrever, escreva sobre como se sente hoje. Ou sobre o que anda faltando a você. Isso irá te ajudar a aliviar o tormento que você sente no coração.

Afinal, conhecer a si mesmo é revitalizante;

beijoseabraços ~

2 comentários:

Rebeca disse...

escreveeer *.*

☻☼♫Aventuras da Galera♫☼☻ disse...

concordo plenament com vc...^^
vc ñ pod deixar sua vida tão publica...bjoOoOo...